quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Este inferno de amar...


Este inferno de amar - como eu amo!-
Quem mo pôs n'alma... quem foi?
Esta cham que alenta e consome,
Que é a vida - e que a vida destrói-
Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há de ela apagar?

Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonh talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão seran a dromi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! desperatar?

Só me lembra que um dia formoso
Eu passei... dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? eu que fiz? - Não no sei;
Mas nessa hora a viver comecei...

Poema
Almeida Garrett
Foto de Fernando Santos retirada da net

6 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Alda, belo texto...Bela fotografia que a conheço de algum lado...
Beijo

Pico minha ilha disse...

Um inferno, não o posso dizer.Beijinho e bom fim de semana.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Alda, agredecia que que colocasse o nome do autor desta fotografia...Que sou eu...Muito obrigado

Alda disse...

Fernando, peço desculpa mas não foi por mal! não sabia de quem era... retirei de outro blog muito antes de conhecer o seu, mas já não me lembro de quem foi...
Mas aprendi a lição... Obrigado!

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga, minha intenção não era para me pedir desculpa...Espero que esteja tudo bêm ? Espero que tudo isto não seja motivo para não visitar mais o meu espaço, seja como for continuarei a visitar o seu...
Beijos

Alda disse...

Fernando,
Está tudo bem, claro que sim!
Tudo está esclarecido!