sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Fecho os olhos



Fecho os olhos

E sinto o mar beijar-me os pés

A cada vai vem de ondas calmas

No silêncio da noite,

Só eu e ele perdidos no universo

Da minha infinita saudade…



Sem perceber deixo voar o pensamento

Para longe, nos sentimentos

Era menina e construía castelos no ar

Sonhava um dia partir a navegar

Para lá do horizonte encontrar

Reinos de príncipes e princesas

Felizes, de encantar…



Desejo nesse momento

Voltar a ser criança e acreditar

Em contos de fadas e princesas

Num mundo feito de amor

E sonhos para conquistar



"Liz" L. Vaz

Foto Alda C.

2 comentários:

Elzinha disse...

Bom dia Alda. Lindo e nostálgico poema. Penso que a criança guardada dentro de nós ainda constrói castelos e é dentro deles que guardamos nossas saudades e desejos.
Tenha um lindo domingo.
Um beijo de carinho.

Elzinha disse...

Alda querida, obrigada pela visita em meu blog. A explicação que me deu me emocionou muito. A maioria de nós seres humanos se queixam por tudo e por nada e Deus nos envia anjos para nos dar testemunhos do quanto podemos ser grandes; e ainda cegos, seguimos ser perceber suas mensagens. Certamente esta jovem nos passa uma mensagem importantíssima: NADA É IMPOSSÍVEL se seguirmos de mãos dadas, entrelaçadas com o Ser Supremo. Isto é ter fé. E é exatamente isto que move esta jovem. A fé e tudo o que a fé agrega. Somos seres eternos, e um dia, a paralisia não lhe será mais necessária. Que Deus abençoe você por ter entendido a mensagem e abençoe a esta jovem.
A você o meu carinho e minha amizade.
(Tenho um outro blog onde falo sobre espiritualidade, ficarei feliz se puder visitá-lo.)
Um beijo