quarta-feira, 1 de julho de 2009

Pequenas descobertas...





Vivemos por muitos anos e procuramos uma razão, um propósito. Essa razão é feita de pequenas descobertas ou grandes coisas que aprendemos com nós mesmos, e que ficam como lembranças no nosso coração.
Aprendi a andar e a falar.
Aprendi a ler e escrever.
Descobri o valor da amizade.
Aprendi a fazer "cosquinhas" na minha irmã.
Descobri que meus pais são o que tenho de mais valioso.
Descobri que o amor de Deus é o maior.
Descobri que eu não sou melhor que ninguém.
Descobri que cada momento é único.
Descobri que viver sem se arriscar não é viver.
Descobri que nunca é tarde para amar alguém.
Descobri que nem sempre vou estar bem.
Aprendi que o que vemos por fora é só aparência.
Aprendi que a perda é o que há de mais doloroso.
Descobri o quanto o amor faz bem ao coração.
Aprendi que para demonstrar o amor é preciso ter um pouco de ausência.
Aprendi que o mundo é perigoso.
Descobri que ninguém é todo mal.
Aprendi que Deus está sempre bem perto de nós, basta sabermos enxergá-lo.

Escrito por Niege em 01.09.06

.

4 comentários:

João Videira Santos disse...

A sensação da descoberta é ilimitada...

Nela voamos com a certeza da realidade...

Valdemir Reis disse...

Amiga Alda visitando e compartilhando:
O valor da amizade?
“Quantas vezes são os amigos que nos fazem sorrir quando tínhamos vontade de chorar, mas a sua simples presença traz de volta o sol a brilhar em nossa vida.
Entretanto, não existe só alegria, amor, felicidade nesta relação que como em qualquer outro relacionamento, passa por crises passageiras, por momentos intempestivos, abalos ocasionais.
Podemos comparar esse elo de amizade ao tempo que passa por alterações climáticas constantemente, mas é dessa forma que aprendemos a nos conhecer, compartilhar momentos, que se desenvolve uma amizade.
É na amizade verdadeira que encontramos sinceridade, lealdade, afinidade, cumplicidade, simplicidade, fraternidade.
Amigos são irmãos que a vida nos deu para caminhar conosco ao longo da nossa jornada espiritual, extrapolando os limites do tempo, continuando quando e onde Deus assim o permitir.” Autora; S. Quevedo Nogueira
Permita deixar um recado o nosso Blog www.valdemireis.blogspot.com está participando do “CONCURSO TOP BLOG CATEGORIA VARIEDADES”. Fique a vontade. Honrado e feliz, antecipadamente agradeço por sua visita e voto, meu muito obrigado!!! Desejo uma semana repleta de realizações, muitas bênçãos, paz, saúde e proteção, brilhem sempre! Fique com Deus. Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Sucesso.
Valdemir Reis

Sonia Schmorantz disse...

Muito bonito isso que postastes..
beijo e lindo final de semana

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.”

(Fernando Pessoa)

Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho.
Abraços


VISITE TAMBÉM O MEU NOVO BLOGGER UMA ILHA PARA AMAR