segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Nunca ninguém sabe...




Nunca ninguém sabe
Nunca ninguém sabe se estou louco para rir ou para chorar
Pois o meu verso tem essa quase imperceptível tremor...
A vida é louca, o mundo é triste:
vale a pena matar-se por isso?
Nem por ninguém!
Só se deve morrer de puro amor!

Mário Quintana
Foto retirada da net

4 comentários:

Marcos Miorinni disse...

Parabéns pela composição dos textos e do blog, gostaria de acompanhá-lo, seria um prazer,
aguardo uma resposta, obrigado e um excelente 2009 repleto de paz e realizações.
Abraços Literários.
Marcos Miorinni

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Alda, belo texto...Excelente...
Beijos

Vieira Calado disse...

À moda antiga!

Pois bem, mas é sempre bom reviver o antigo.

Bjs

Angela Maria disse...

Muito bonito!

;)